GeoSan - Perguntas Frequentes

Como o GeoSan pode ajudá-lo?

O GeoSan fornece a empresa de saneamento o poder de gerenciar as instalações de redes e consumidores e simplificar a ampla gama de operações de gerenciamento e planejamento de infraestruturas de redes e consumidores. Um núcleo central baseado em banco de dados geográfico Oracle, Postgres ou SQLServer é implantado permitindo ao cliente que exportasse os dados das redes com os respectivos consumos associados sejam exportados para um software de simulação hidráulica , com o objetivo de apoiar decisões operacionais baseadas em conhecimento de engenharia, para a redução de perdas de água. O GeoSan é baseado em software livre para o cadastro de redes de água, esgoto, drenagem e consumidores, que pode ser associado a qualquer sistema comercial de mercado, como aplicação SIG para saneamento com componente de desenvolvimento, as quais permitem aos colaboradores da própria organização de saneamento, desenvolverem de forma fácil e rápida, aplicações SIG específicas para as suas necessidades.

Posso abrir os mapas do CAD no GeoSan?

Sim, você pode importa-los no formato DXF para o banco de dados geográfico, utilizando o Spring.

Terei que redesenhar todas as redes de água?

Se desejar uma simples importação para o banco de dados geográifco, não terá que redesenha-las. Caso queira exportar as redes para simulação hidráulica no EPANET ou outro software de sua preferência você necessitará das seguintes informações adicionais associadas as redes e nós das mesmas:

  • Associar como atributo os diâmetros a cada trecho de rede
  • Associar o material e consequentemente a rugosidade
  • Associar o comprimento
  • Definir um número de identificação para cada trecho de rede
  • Associar os números dos nós iniciais e finais aos quais o trecho de rede está conectado
  • Associar as cotas aos nós
  • Ligar cada consumidor ao trecho de rede, através de um ramal
  • Associar o consumidor ao banco de dados comercial para poder obter a demanda média de consumo de cada hidrômetro
  • Associar a cada trecho de rede, os consumidores que estão ligados ao mesmo
  • Associar a cada nó de rede a somatória dos consumos médios de todos os consumidores conectados ao trecho de rede

Portanto uma simples conversão de arquivos CAD para um software SIG não garante a exportação dos dados para simulação hidráulica. Caso deseje exportar sem estas informações poderá fazê-lo sem a implantação de um SIG, mas estará prejudicado na simulação hidráulica, onde no software de simulação terá que cadastrar todos estes atributos em cada trecho e nó de rede, o que representa uma tarefa muito exaustiva. As vezes impraticável de realizar.

Com o GeoSan esta atividade fica mais simples e rápida de ser implementada. Veja os indicadores de produtividade abaixo.

Qual o nível de interação entre o CAD e o GeoSan?

Você pode exportar os dados do CAD para o GeoSan e pode exportar os dados do GeoSan para o CAD. O CAD fica destinado como uma ferramenta de projeto de engenharia, o GeoSan como uma ferramenta de cadastro integrado de redes e consumidores.

Qual é a produtividade no cadastro de redes?

Spotlight Image

Uma importante questão é a produtividade no cadastro de redes e consumidores. A seguir é apresentado um gráfico que mostra esta produtividade de uma equipe que iniciou nos primeiros 2 meses com 20 estagiários e duas coordenadoras. Sendo turnos de 4 horas por estagiário, ou seja 10 estagiários na parte da manhã e 10 na parte da tarde, com as coordenadoras disponibilizadas em tempo integral. Para ampliar, selecione na imagem.

Conclusões

1 Na curva rosa foi cadastrada a produtividade para cadastrar-se inicialmente 1.500 km de redes de água, a partir da implementação do GIS.
2 Como a equipe tinha que realizar um treinamento antes de cadastrar efetivamente as redes, a mesma ficou 20 dias corridos em treinamento, aproximadamente 10 dias úteis. Neste treinamento eles utilizaram o banco de dados geográfico de teste do GIS.
3 Após este período os estagiários iniciaram o cadastro, a partir do zero, ou seja descartaram tudo o que fizeram enquanto treinavam e iniciaram o cadastro das redes novamente, agora devidamente capacitados.
4 Veja, na curva azul, que em 2,5 semanas conseguiram cadastrar 1.500 km de redes de água.
5 A partir dai aconteceu que as informações sobre as localizações das redes não estavam mais disponíveis em CAD (georreferenciado) e passaram a vir em papel ou através de informações de conhecimento do pessoal da operação que vinha esporadicamente na sala de cadastro para informar onde encontravam-se as redes. Desta forma a velocidade do cadastro no GIS caiu, não por causa da produtividade, mas sim por dificuldade em obter-se a informação da localização das redes de água.
6 Também você pode verificar na curva azul que no período de 25/3 a 7/4/2009 não houve aumento da produtividade. Isto ocorreu pois eles juntamente com a equipe que foi ampliada para 50 estagiários, 25 pela manhã e 25 a tarde, estava sendo capacitada para cadastrar os ramais, e cadastrando ramais. Após este período parte da equipe voltou a cadastrar redes que iam chegando em papel e através de informações que estavam na cabeça do pessoal da operação.

Qual é a produtividade no cadastro de ramais?

Spotlight Image

Na figura ao lado são apresentados os indicadores para cadastrarmos 225 mil consumidores

Na curva amarela é apresentada a previsão de produtividade no cadastro de ramais de água.

Atividades necessárias para cadastrar uma ligação de água

Para integrar o cadastro técnico de redes ao cadastro comercial são necessárias as seguintes atividades:

1 Consultar o croqui da quadra impresso em papel ou em arquivo CAD não georreferenciado.
2 Localizar no mapa de toda a cidade (GIS) a quadra que está no papel. Detalhe, não existiam logradouros ou quadras cadastradas na forma de um GIS com atributos. Existiam apenas textos CAD georreferenciados, sem normalização, que estavam diferentes do que estava escrito na quadra e no banco de dados comercial.
3 Desenhar o ramal ligado a rede.
4 Localizar o consumidor no banco de dados comercial.
5 Associar este consumidor ao ramal e trecho de rede de água.

Conclusões

1 A produtividade de cadastro foi atingida diariamente conforme a meta estipulada no início.
2 A partir do dia 28/4/2009, quando tínhamos 50.000 ramais cadastrados, ou seja onde o cadastro técnico de redes estava conectado ao cadastro comercial, a produtividade de cadastro dos ramais começou a cair. Porque?

Uma pesquisa com todos os 50 estagiários, eles afirmaram que em mais de 50% foi por falta de rede disponível para o cadastro do ramal/consumidor, ou seja. Eles iam cadastrar o ramal e em determinado momento não existiam as redes e eles não conseguiam cadastrar os consumidores. Tinham que realizar diversas solicitações para os departamentos de cadastro e manutenção para que informassem o posicionamento das redes e assim continuar o cadastro. Trabalhavam com maior lentidão por falta de informação.

Produtividade

Ao final em 7 meses sendo nos dois primeiros meses 20 estagiários e nos subsequentes 50 estagiários em períodos de trabalho de 4h diárias cada um, foram cadastrados 3.000 km de redes de água e 225 mil consumidores.

A produtividade que temos observado para um dia de 8h é:

Cadastro de Redes de Água: 10 km pessoa/dia

Cadastro de Ligações: 200 ligações pessoa/dia

Não conformidades

Spotlight Image

A seguir é apresentado o mapa de não conformidades, o qual representa os locais onde os estagiários não conseguiam solucionar as questões de cadastro no GIS e necessitavam de auxílio. Para ampliar, selecione sobre a figura.

 

Ao longo do tempo as não conformidades eram registradas e apareciam como pontos vermelhos para serem corrigidas com a presença da informação solicitada que vinha através da presença de funcionário da manutenção ou novo mapa fornecido em papel.

Spotlight Image

A direita um detalhe de não conformidades. Selecione na figura para ampliar.

 

Com estes mapas o gestor conseguia acompanhar o andamento dos serviços, definindo as ações necessárias para priorizar a solução das mesmas.

Exportação para simulação hidráulica

Com o cadastro finalizado o SIG exporta as redes, com rugosidades, cotas, diâmetros, materiais, comprimentos e demandas de consumo para a simulação hidráulica no EPANET, objetivo do trabalho para redução das pressões nas redes e redução de perdas de água.